HISTÓRIA

O UBERLÂNDIA ESPORTE CLUBE

O Uberlândia Esporte Clube foi fundado em 1922, quando o município de Uberlândia ainda era conhecido como Uberabinha. Na década de 1920, a cidade era comandada e rivalizada politicamente por dois grupos. Cada grupo possuía sua própria banda e se revezavam na abertura dos jogos de futebol que aconteciam na cidade. O Partido Republicano Municipal possuía a banda denominada “Cocão” e o Partido Republicano Mineiro era representado pelos “Coiós”; possuíam entre si um acordo de revezamento. Em um importante jogo realizado no Campo da Associação Esportiva de Uberabinha, a banda “Cocão” decidiu, por ser a proprietária do campo, romper o acordo de revezamento e então os Coiós se retiraram do campo. O empresário Agenor Bino juntamente com seu amigo — o também empresário, político e dono de terras — Gil Alves dos Santos reuniram-se com os demais membros do Partido Republicano Mineiro, na Vila Operária, para a criação de um novo time de futebol. Gil Alves “cedeu”, por um valor simbólico, o terreno onde, anos mais tarde, seria o Estádio Juca Ribeiro. Desta forma, foi fundado oficialmente, no dia 1 de Novembro de 1922, o Uberabinha Sport Clube que, em breve, mudaria seu nome juntamente com a cidade para Uberlândia Esporte Clube.

1922 a 1969: As primeiras competições
Depois da sua fundação, o Uberlândia Esporte começou a representar a cidade em torneios e jogos realizados no Triângulo Mineiro. Durante anos, viveu ainda como um time subprofissional e, com o passar das décadas, foi ganhando seu espaço no estado de Minas Gerais. Como as competições mineiras, naquela época, ainda eram restritas à região de Belo Horizonte, eram raras as participações de times do interior do estado.

Em 1961, criou-se a Primeira Divisão de Profissionais que, apesar do nome, era a segunda divisão do Campeonato Mineiro (a divisão principal chamava-se Divisão Extra). Vinte equipes participaram da competição, marcando suas estreias em um campeonato oficial do estado de Minas Gerais. O Uberlândia Esporte ficou em 2º colocado da Zona Triângulo A e não avançou para a próxima fase. Terminou em 5º colocado na classificação geral.

Na Primeira Divisão de Profissionais de 1962, o Uberlândia Esporte fez uma primeira fase praticamente impecável — venceu 13 de seus 16 jogos. Ao fim da primeira fase, o Uberlândia Esporte e o time da cidade vizinha, o Araguari Atlético Clube, ficaram empatados em números de pontos, sendo necessário o jogo de desempate. Na regra “melhor de três”, o Uberlândia Esporte foi melhor: duas vitórias e um empate. Assim, chegou à partida final contra o Palmeirense, de Ponte Nova. O Uberlândia Esporte Clube venceu ambos os jogos — o primeiro, em casa, por 2 a 1, e o último, fora de casa, por 2 a 0 —, conquistando seu primeiro título oficial e garantindo vaga, pela primeira vez, na elite estadual.

Em 1963 o Uberlândia Esporte estreou na elite mineira (Campeonato Mineiro de Futebol de 1963 – Divisão Extra). O primeiro jogo foi um empate com o Uberaba Sport Club e, por fim, o time encerrou a competição em 8º lugar, fazendo uma campanha razoável. Alguns feitos memoráveis deste campeonato foram as vitórias do time do interior sobre o Cruzeiro, por 2 a 0, e sobre o Villa Nova, por 4 a 1. O jogador “Fazendeiro” do Uberlândia Esporte foi o artilheiro da competição, juntamente com o jogador Villadonega, do Atlético-MG, com 12 gols cada.

Em 1964, em sua segunda participação na elite do Mineiro, o Uberlândia Esporte Clube ficou apenas com a 10ª colocação — venceu apenas 5 dos 22 jogos que disputou — com destaque aos empates com o Atlético Mineiro e Cruzeiro, ambos por 1 a 1, e às goleadas aplicadas sobre o Guarani de Divinópolis, por 6 a 0, e Pedro Leopoldo, por 5 a 0. Em 1965, o Uberlândia Esporte repetiu as doses de 1964 e não foi bem no campeonato. Terminou em 11º colocado — venceu apenas 5 jogos — com destaque à goleada, por 7 a 0, sobre o Guarani de Divinópolis.

No ano de 1966 o Uberlândia Esporte Clube melhorou seus rendimentos e terminou o campeonato na sétima colocação com 7 vitórias, 7 derrotas e 8 empates, sendo notórios os empates com o América Futebol Clube e Atlético Mineiro e, também, a goleada por 4 a 0, sobre o Democrata de Sete Lagoas. Em 1967, o UEC terminou o campeonato na décima colocação, com vitórias notáveis sobre o Villa Nova, por 3 a 0 — fora de casa —, e uma goleada, por 5 a 1, sobre o Democrata de Sete Lagoas.

O ano de 1968 foi mágico para o Uberlândia Esporte. O time ficou entre os três melhores do estadual e conquistou o título de Campeão Mineiro do Interior pela primeira vez. A equipe venceu 10 jogos, empatou 7 e perdeu apenas 5. Ressaltando algumas vitórias, estas foram sobre o América (2×0 e 1×0), Uberaba (2×1 e 3×2) e, fora de casa, contra o Atlético Mineiro, por 2 a 1.[14] Em 1969, a equipe terminou na sétima colocação com uma campanha de altos e baixos.

1970 a 1979: Campeão do interior e estréia no Brasileirão
O ano de 1970 novamente foi um ano mágico para o time do Triângulo Mineiro. O UEC terminou em quarto lugar e conquistou o seu segundo título de Campeão do Interior. Em 1971, o time terminou apenas na sétima colocação do estadual, atrás do arquirrival Uberaba, porém, a equipe foi vice-campeã da Taça Belo Horizonte.

As competições de 1972, 1973 e 1974 marcaram uma época sem muito brilho para o Verdão, tendo terminado o campeonato na 8ª colocação, em 1972, e apenas na 11ª colocação nas duas edições seguintes. Os anos posteriores também não foram os melhores: derrotas e eliminações precoces marcaram o Uberlândia Esporte Clube até o ano de 1977.

Ao final do ano de 1978, o time do Uberlândia Esporte encontrava-se em 10º lugar no Campeonato Mineiro[22]. No entanto, a primeira participação de uma competição oficial, de nível nacional, foi a maior marca do time. O UEC estreou na Série A do Campeonato Brasileiro, em um grupo repleto de times do Nordeste e de Minas. Terminou a primeira fase em 12º colocado e não avançou no torneio, sendo o Guarani, de Campinas, o campeão brasileiro daquele ano.­